Todo mal que as comédias românticas fazem

Vocês não sabem com eu estava doido pra fazer esse post, mas a correria no final de ano não estava me permitindo, e agora que tenho uma boa horinha de folga não vou deixar passar.

romance11

Está olhando o que? Ela é gostosa mas é chata pra cacete!

De acordo com estudos, as comédias românticas (filmezinhos mais detestáveis do universo) podem prejudicar o relacionamento amoroso, e essas são informações oficiais de uma pesquisa realizada na Universidade Heriot-Watt de Edimburgo, na Escócia.

Antes de continuar com esse post, eu gostaria REALMENTE de agradecer à todos os pesquisadores escoceses, durante anos eles vêem provando que todas as minhas teorias fazem sentido e podem salvar a humanidade do caos, não é a primeira vez que eles comprovam a existência real com métodos científicos coisas que já falo há anos (no bar, claro).

Enfim, de acordo com os psicólogos responsáveis pela pesquisa, esse tipo de filme, que possue argumentos dignos de Contos de Fada com seus finais altamente felizes e principalmente improváveis, atrapalham o relacionamento alheio, pois eles transmitem uma falsa sensação de que existem “relacionamentos perfeitos” e alimentam expectativas NADA realistas, principalmente nas mulheres.

Só pra constar: Comédias românticas são aqueles filmes que dá tudo errado o filme inteiro e termina perfeitamente bem no final. Ao contrário dos filmes românticos, que dá tudo certo o filme inteiro e no final alguém morre (ou todo mundo).

Os pesquisadores escoceses analisaram 40 filmes de grande bilheteria, e após a tortura exibição eles distribuiriam questionários para centenas de pessoas sobre suas relações sentimentais. Como era de se esperar, todos estavam um pouco infelizes com a relação atual, e a discussão sobre o maldito tapetinho do banheiro foi geral.

O maior problema no entanto, é que esse tipo de filme passa a falsa impressão de que não é necessário investir tempo na relação, não é necessário atenção, não é necessário diálogo para que o outro saiba o que está se passando e o que ela quer, que as pessoas não precisam de emprego para sobreviver, que ganhar na loteria é tão fácil quanto tirar o pinto pra fora e mijar, que confiança não é algo que se conquiste e sim que já acontece simplesmente quando se conhece a pessoa.

E outra coisa que devo acrescentar à essa pesquisa: não é que tudo isso não aconteça realmente, toda aquela historinha pode sim acontecer, e isso tudo tem um nome: TESÃO.

É hoje que saio do atraso.

É hoje que saio do atraso.

Fato, quem aqui não percebeu que os filmes de comédia romântica terminam justamente nas primeiras semanas de relacionamento, quando o homem e a mulher estão com tanto tesão que não querem saber de porra nenhuma mesmo não, agora eu lhes pergunto, e se o filme mostrasse 10 anos depois?

Eu digo: teríamos uma cena com um homem semi-careca e barrigudo, sentado no sofá assistindo jogo de futebol, 3 crianças gritando, fazendo bagunça e brigando entre si pela casa e mulher falando feito condenada com uma vassoura na mão, brigando com os moleques brigando e reclamando que o marido não faz nada.

Obviamente não estou falando que todos os relacionamentos terminam assim… Alguns homens não ficam carecas após 10 anos somente.

Os pesquisadores disponibilizaram um site para ampliar o estudo, o www.attachmentresearch.org, assim espero que todos deem contribuição para essa pesquisa que certamente pode salvar fins de semana inteiros.

Para finalizar, só gostaria de fazer um apêlo: Pelamordedeus carai-cacete-bunda-pinto-bosta-merda-madonna, mulheres, esqueçam que esse tipo de filme existe. Tem tanto filme bom nesse mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *