Fazer sexo ou não no primeiro encontro

Se você, mulher indecisa, ainda não sabe o que fazer, dar ou não dar, quando sair a primeira vez com aquele bonitão; talvez este texto poderá ajudá-la.Versão Feminina:

Você está lá, tranqüilinha no seu carro. O sinal está fechado e você aproveita para retocar o seu batom Pérola do Oriente. Você olha no espelhinho e percebe que o cara de trás não desgruda os olhos da sua boquinha. Sim, ele é bonito e tem um baita carrão…

Deve ser impressão minha, pensam os seus neurônios, com toda a auto-estima que Deus lhe deu, imaginando que:

- “Imagina se um cara desses vai olhar para mim…”

O sinal abre, você anda uns 100 metros. Do seu lado direito, para um vendedor de chicletes, um cara de cadeira de rodas e um Hare Krishna. Do seu lado esquerdo, para o bonitão, vidradão em você. Discretamente, você olha para as mãos dele no volante… Não, amiga, ele não usa aliança!!!

Os carros andam mais 50 metros e param de novo. Ele abaixa o vidro elétrico e diz:

- “Me dá o seu telefone?”

Como você está completamente abobalhada com o que está acontecendo, pega o celular para jogar dentro do carro dele, mas Shiva te ilumina a tempo e você passa, lentamente, seu cartãozinho pela janela. Três horas mais tarde, ele te liga convidando para jantar. Você aceita, desliga o telefone e começa a cantar bem alto:

- “Tá dominado! Tá tudo dominado!!!”

Na hora do almoço, você corre pro Shopping, gasta os tubos numa saia nova, afinal, investimento é tudo nessa vida. Ele vem te buscar em casa, chique e perfumadão, e te leva num restaurante francês para comer ‘Foie Gras’, com direito a ‘Moet Chandon’. O champanhe está em promoção e vocês, romanticamente, preenchem cupons que dão direito a uma viagem a Paris.

- “Ah, Parrrriii!!!”

Ele paga a conta, vocês saem, ele bota um cd da Sade e chega até a porta do seu prédio. Você o convida para um licorzinho básico, mas jura, jura e jura para si mesma que não vai dar, mesmo porque você não fez depilação e, a última coisa que você quer na vida, é que ele te confunda com a ‘Monga, a mulher macaca’. Vocês sobem, rola aquele rala previsível e irresistível… Ele tenta avançar o sinal, você breca. Ele tenta de novo, você breca de novo. E assim caminha a humanidade… Algumas horas, depois que você ganhou a partida, ele se despede com um beijo e um abraço carinhoso e com aquela sinfonia para os nosso ouvidinhos:

- “Amanhã te ligo…”

No dia seguinte, você vai de novo ao Shopping, gasta outros tubos num vestidinho, em depilação completa e na lingerie La Perla, dispensa todos os convites das suas amigas para badalar e…

Espera sentada pelo telefonema dele… que nunca vem. Sua vizinha chama, sua mãe chama, sua avó chama, o Ibope chama, até Avon chama… só ele que não chama… E você vai dormir com aquela sensação horrível de que, nem um passeio pelo Taboão da Serra, em pleno apagão, seria pior que isso.

É amiga, aquele cara gostosão, bem de vida… nunca mais, nunca mais meeeeeeesmo, vai te ligar… Mas, por que os homens dizem que vão ligar e não ligam???

Conclusão: no primeiro encontro dê mesmo! Se ele não ligar mais, pelo menos você deu uma bem dada e vai se sentir bem por uma semana pelo menos!

Versão Masculina:

Você vem dirigindo normalmente o seu carro, e está até com um pouquinho de pressa, afinal chegar em casa depois de um dia cansativo de trabalho é uma das melhores coisas do mundo… Aproximando-se de um sinal de trânsito, que por acaso acaba de ficar amarelo, um carro à sua frente freia bruscamente, forçando-o a frear mais bruscamente ainda… O primeiro pensamento que lhe ocorre é:

- “Que merda!!! Deve ser alguma ‘vaca’ dirigindo, e que só usa a porra do retrovisor para retocar a maquiagem!!!”

Olha para frente e qual não é sua surpresa… Realmente era uma ‘vaca’, e realmente ela estava retocando a maquiagem, passando batom, sei lá… mas até que a ‘vaquinha’ era bonitinha, comível… 2º pensamento:

- “É… ela é bonitinha e tudo mais… mas se eu bato com o meu carro naquela carroça.”, 3º pensamento:

- “Vou cantar ela só de sacanagem, vai ver meu carro, vai me dar mole na hora, afinal de contas: Quem gosta de homem bonito é viado, mulher gosta é de dinheiro!!!”

O sinal abre, ela fica 5 segundos acelerando a porra do carro, para sair lentamente até arranhar a marcha na troca. Haja paciência… Andam uns 100 metros e param em outro sinal, só que desta vez lado a lado. Discretamente, e com movimento quase que síncrono você tira a aliança e coloca as mãos no volante. Ufa!!! Deu tempo…. Olha para ela e ela está olhando.

- “Vai ser a maior moleza, Não vou nem gastar saliva, vou logo pedir o telefone, e aposto que ela vai querer jogar o celular aqui dentro do meu carro.”, você pensa. Andam mais alguns metros e param de novo lado a lado. Você abaixa o vidro elétrico e faz sinal com a mão pedindo para ela rodar a maçaneta para abrir o vidro dela também e diz:

- “Me dá o seu telefone?”. O trânsito começa a andar e ela tá gritando:

- “Peraí!!!”, enquanto procura alguma coisa… Pessoas xingam-na de tudo quanto é nome, acabam te xingando também, afinal de contas você também está parado no meio da rua esperando sei lá o quê… Enfim, ela entrega um cartão meio amassado com o nome, telefone e bordas com florzinhas e corações. Você vai para casa, entra meio afobado, e a sua mulher pergunta:

- “Oi amor, como foi o seu dia?” Você responde:

- “Oi amorzinho,infelizmente meu dia não acabou, só vim em casa trocar de roupa, pois tenho uma auditoria para fazer em um cliente, e só pode ser à noite, sabe como é, as empresas não podem parar para eu trabalhar, você entende né?

- “Mas de novo? Ah, não vai não!!!

- “Desculpa, mas tenho que ir… Te amo… Tchau!!!”

Pega o celular, o cartão amassado da mulher, e liga:

- “Oi, lembra de mim, o cara do Audi preto de hoje no trânsito, quer jantar comigo?”
- “Claro!!!” Ela responde. Você marca de buscar ela em casa, desliga, e grita, bem alto:
- “Mais uma!!! Mais uma!!!”

No horário combinado, você chega na casa dela, e ela vem com uma saia ridícula, estilo R$ 1,99, se apresentam melhor, entram no carro e vão… Você pensa:

- “Vou levá-la a um restaurante legalzinho, afinal de contas vale tudo para faturar uma mulher. Vão a um restaurante Francês para comer ‘Foie Gras’, com direito a ‘Moet Chandon’. O champanhe está em promoção e, vocês preenchem cupons que dão direito a uma viagem para Paris. Você pensa:

- “Se eu ganhar, quem eu levo?” Você paga a conta, entram no carro, você bota um cd pirata da Sade especial para cantar a mulherada, para na porta do prédio dela e pensa:

- “Ela tem que me chamar para subir, senão vou ter que arrastá-la para um motel, e é mais grana que eu gasto com essa mulher. Ela não vale tudo isso não!!! Ou então ela vai ter que fazer aqui dentro do carro mesmo. Putz grila!” Ela chama:

- “Vamos subir, tomar um licorzinho, conversar um pouquinho mais?”” E você pensa:

- “Booaaa. Conversar porra nenhuma! Vocês sobem e já no elevador você ataca. Destrói a mulher, deixa-a mais molhada do que a Marginal Tietê em noite de enchente. Entram no apartamento dela, e como um touro você já vai querendo rasgar a blusa e a saia dela, até que ela grita:

- “Para!” Você para, sorri, descansa um pouco, a acaricia, e começa de novo lentamente, até os movimentos das mãos começarem a retomar o ritmo inicial, vai ficando quente de novo até que:

- “Para!”, grita ela novamente em tom meio histérico. Conversam um pouco, bebem o tal licor, e dessa vez ela vem para cima de você, chegando até a surpreender, tal a empolgação, fazendo coisas com a boca que nem Madonna sabia que dava para fazer. Até que:

- “Para, para…”

- Puta que pariu!!! você pensa. Você gentilmente diz que tem que ir embora e fala para ela:

- “Amorzinho, adorei sair com você, você é maravilhosa, linda, e quero muito sair com você de novo, posso te ligar amanhã?”

- Claro!!!, responde ela completamente apaixonada e vocês se despedem. Você desce no elevador puto da vida, com uma dor no saco de matar (pois é, mulherada, dói, se vocês não sabem…), pensando:

- “Quando eu chegar em casa vou ter que descarregar na minha mulher, que merda!” Pega o carro, para num posto de gasolina para abastecer, vai na loja de conveniências, compra uma cerveja, e volta para o carro. Coincidentemente, uma amiga da época da faculdade para com o carro dela do lado do seu, e surpresa…. ela tá gostosíssima, com uma minisaia show e uma blusa decotada que, para aparecer os peitos, é só ela respirar.

Conversa vai, conversa vem, e onde acaba a história? Ela te leva no carro dela para um motel, vocês transam loucamente durante duas horas consecutivas, sem descanso, nem para beber água. Acabam, tomam banho, se arrumam e saem… Qual não é a sua surpresa quando ela diz:
- “Essa eu faço questão de pagar!” Meio sem jeito você aceita e vão embora pegar o seu carro no posto. Trocam telefone e até hoje se ligam eventualmente quando querem uma boa transa. E a amizade continua…

Conclusão: Adivinha quem vai para Paris?

PS.: O ministério da saúde adverte, ter preguiça de ler texto grande faz mal à saúde!

Deixe um comentario